quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Ano-novo = novos revezes

Fim do ano exige providências. As pessoas se enchem de votos felizes de um ótimo ano e resoluções para um ano feliz. É claro que o UniB não cai nessa. Quem acompanha esse blog, sabe que no ano passado, iniciei o que agora vai se tornar uma tradição de fim de ano nesse blog. São os reveses de ano-novo.
A coisa funciona assim: Não podemos prever o futuro, mas geralmente ele nunca é do jeito que imaginamos. Então basta imaginar o máximo de coisas ruins possíveis para eliminá-las do futuro, certo?

Em janeiro, vou perder todo o tempo de férias que deveria usar para fazer algo de útil fazendo coisas típicas da vadiagem, surfar, namorar, comer e dormir. Quando chegar o fim das férias vou entrar em desespero porque não fiz nada de útil. Também vou pegar uma ensolação e um tersol.

Em fevereiro vou continuar procurando um estágio. Vou descobrir que emitir opinião é uma coisa perigosa, pois nunca se sabe o nível de stress das pessoas. No carnaval vou tomar um porre cair e torcer os dois pés (outra vez). Além disso vou descobrir que areia não tem um gosto muito agradável.

Em março vou ter uma crise de nervos, pois vou descobrir que meu IA não foi suficiente para me matricular nas disciplinas de Jornalismo, nos horários que preciso. Vou ter de implorar para o Dalton me encaixar nas disciplinas porque sou incompetente para fazer plano 2 e 3 de matrícula. Vou conseguir um estágio de trabalho voluntário com um chefe chatériimo que vai me obrigar a trabalhar em feriados, fins de semana e 8 horas diárias. Devido ao stress terei amnésia.

Em abril, vou descobrir que 30 horas /aula só era possível porque eu não fazia estágio. Vou começar a ter urticárias devido ao stress e vão surgir furúnculos no meu nariz. Vou perder feio no campeonato de corrida de tampinhas.

Os três meses seguintes com mais previsões catastróficas nos próximos posts. Quem viver, lerá.

Felizmente há algo a meu favor: Sempre sonho com uma casa em construção, na qual eu moro e moram muitas pessoas. É sempre uma casa grande, muito grande. Segundo o site Significados dos sonhos: Casa em construção = ganhos inesperados.

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Meu primeiro vídeo!!!!

Meu primeiro vídeo, filmado, roteirizado e editado por mim.



Meu primeiro vídeo, filmado, roteirizado e editado por mim.

Plac, plac, plac... (aplausos)

terça-feira, 3 de julho de 2007

Piu-Piu e a Grande Conspiração Universal

O famoso passarinho dos desenhos animados Piu-Piu é na verdade um instrumento utilizado pelos extraterrestres em conjunto com o governo secreto da Terra para inserir mensagens subliminares nas mentes da população e prepará-la para a dominação completa do planeta em um futuro próximo.

As evidências são inegáveis e revelam que a Grande Conspiração Universal está sendo levada a cabo silenciosamente há décadas, com o apoio de nosso governos e das grandes empresas de entretenimento.
Esta é a tese defendida pelo físico nuclear Denton Creepman. Segundo ele, Piu-Piu é a representação de um ser híbrido, uma mistura simbólica e intencionalmente infantil de DNA de passarinho com DNA alienígena. Os desenhos abaixo demonstram claramente a real natureza do aparentemente inocente passarinho. Leia toda a tese.

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Como definir Deus?

De Einstein a Toby: As apreciações dos gênios a respeito da eterna questão.
Quando Einstein disse que "Deus não joga dados com o Universo", tentou explicar que nada no mundo está aí por nada. Mas, aí veio a física quântica e tudo ficou mais complicado ainda. Como diria alguém - que deve ser importante, mas não me lembro o nome: "Quanto mais eu sei, menos entendo".
Na revista Piauí, ninguém menos que Toby, um cavalo, pondera sobre a existência de Deus. Nem Napoleão, podia tanto com um cavalo branco. Separei um trecho para apreciação:
[...] Ser um cavalo falante me deixa com tempo de sobra para ponderar acerca desses grandes temas. Ninguém me monta, porque simplesmente digo logo para descer. Assim, tenho muito tempo livre. Às vezes, à noite, para passar as horas, eu canto; às vezes, paquero a beldade que anda no pasto vizinho, a Lily. Às vezes, exercito meus poderes, o que é divertido. Neste preciso momento, de fato, você não lê isto. Apenas pensa que lê. Na verdade, você está ligando para o serviço telefônico do seu banco e transferindo todo o dinheiro para a minha conta.
Na maior parte do tempo, no entanto, assim como fazem muitos outros cavalos, tento fazer anagramas de cabeça. Quando você vê um cavalo parado num pasto, olhando para você, na realidade ele está tentando recombinar letras na cabeça: "amor, ramo, roma..." É coisa natural nos cavalos. [...]
É por isso que o cavalo não inventou o computador, mas inventou "e pouca gente sabe disso ¿ o sofá. Uma vez que você permita que idéias incompatíveis coexistam em seu cérebro, estará no rumo certo para virar uma boa besta de carga. Aqui está uma pitada de juízo de cavalo, saído de minha própria cocheira: qualquer resposta que escolher, a qualquer momento, será a resposta correta. [...]
JK: Certa vez no cursinho pré-vestibular, um professor de física afirmou que a ciência provaria a existência de Deus quando encontrasse a relação entre eletricidade e magnetismo. Haveria então uma fórmula, a fórmula de Deus. Quando comecei a gostar de metafísica, lá pelos 14 anos, tanto Shirley MacLaine quanto Nietsche tinham razão. O que confirma a tese de Toby. Mas, o professor de física também está certo. Não é engraçado?