sexta-feira, 20 de abril de 2007

Como definir Deus?

De Einstein a Toby: As apreciações dos gênios a respeito da eterna questão.
Quando Einstein disse que "Deus não joga dados com o Universo", tentou explicar que nada no mundo está aí por nada. Mas, aí veio a física quântica e tudo ficou mais complicado ainda. Como diria alguém - que deve ser importante, mas não me lembro o nome: "Quanto mais eu sei, menos entendo".
Na revista Piauí, ninguém menos que Toby, um cavalo, pondera sobre a existência de Deus. Nem Napoleão, podia tanto com um cavalo branco. Separei um trecho para apreciação:
[...] Ser um cavalo falante me deixa com tempo de sobra para ponderar acerca desses grandes temas. Ninguém me monta, porque simplesmente digo logo para descer. Assim, tenho muito tempo livre. Às vezes, à noite, para passar as horas, eu canto; às vezes, paquero a beldade que anda no pasto vizinho, a Lily. Às vezes, exercito meus poderes, o que é divertido. Neste preciso momento, de fato, você não lê isto. Apenas pensa que lê. Na verdade, você está ligando para o serviço telefônico do seu banco e transferindo todo o dinheiro para a minha conta.
Na maior parte do tempo, no entanto, assim como fazem muitos outros cavalos, tento fazer anagramas de cabeça. Quando você vê um cavalo parado num pasto, olhando para você, na realidade ele está tentando recombinar letras na cabeça: "amor, ramo, roma..." É coisa natural nos cavalos. [...]
É por isso que o cavalo não inventou o computador, mas inventou "e pouca gente sabe disso ¿ o sofá. Uma vez que você permita que idéias incompatíveis coexistam em seu cérebro, estará no rumo certo para virar uma boa besta de carga. Aqui está uma pitada de juízo de cavalo, saído de minha própria cocheira: qualquer resposta que escolher, a qualquer momento, será a resposta correta. [...]
JK: Certa vez no cursinho pré-vestibular, um professor de física afirmou que a ciência provaria a existência de Deus quando encontrasse a relação entre eletricidade e magnetismo. Haveria então uma fórmula, a fórmula de Deus. Quando comecei a gostar de metafísica, lá pelos 14 anos, tanto Shirley MacLaine quanto Nietsche tinham razão. O que confirma a tese de Toby. Mas, o professor de física também está certo. Não é engraçado?

Nenhum comentário: