terça-feira, 22 de abril de 2008

Humanidade se arma contra leis de Murphy: parte 3

Como a geléia resiste bravamente às tentativas de cair no carpete

Depois que os bravos designers da Becel conseguiram resolver o problema da aplicabilidade das leis de Murphy na tampa da margarina, um novo desafio foi lançado: como salvar a geléia da torrada.
Para a nobre missão foram destacadas pessoas de cujo nível técnico e estratégico no tratamento da geléia eram incomparavelmente superiores aos de qualquer pesquisador: as donas de casa.

Com seus aventais denominados 'beije a cozinheira', elas partiram na missão de encontrar a fórmula perfeita da geléia que não cai no carpete, nem com uma torrada embaixo. Depois de dias e noites de intensa pesquisa e mais de mil episódios de Ana Maria Braga e novelas variadas, elas conseguiram.
Chegaram à formulação perfeita que anula exponencialmente as leis de Murphy: o Sonho de geléia. Sim, aquele Sonho da padaria que vinha com recheio de doce de leite, provou ser tecnologicamente compatível para contribuir com a resistência às leis de Murphy.

Com a geléia dentro do Sonho sem nenhuma fenda por onde possa sair, a lei não encontra aplicabilidade. Essa solução não serve para as torradas duplas, pois nessas, a geléia ainda pode encontrar uma fenda para cair conforme mostrado no diagrama ao lado.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Humanidade se arma contra leis de Murphy - parte 2

As fatídicas leis de Murphy estão com os dias contados. É o que garante um grupo de intrépidos pesquisadores que lutam diariamente para anular seus efeitos.

Na área do design é onde vemos os resultados mais animadores. Os designers de embalagem da margarina Becel perceberam que o pote do produto apresentava uma inconveniência: a margarina se grudava à tampa. Isso não seria um problema, não fossem as leis do nosso querido cientista aeroespacial, Joseph Murphy. Quando a tampa caía no chão - geralmente com a parte de dentro para baixo, confirmando a lei - a sujeira grudava na tampa e o chão se enchia de margarina.

Cansadas de limpar essa sujeira, donas de casa do mundo inteiro se revoltaram e passaram a consumir menos margarina. Isso aconteceu concomitante ao aumento das informações divulgadas sobre o colesterol presente nos produtos, mas isso não vem ao caso.

Os designers da Becel, então, com seus empregos ameaçados, passaram noites e dias pesquisando formas de burlar as leis de Murphy. Tentaram de tudo: amarrar a tampa nas costas do gato, prender uma parte da tampa no pote, vender o pão já com margarina, mas cada teste trazia um inconveniente.

Até que certo dia, após uma longa jornada infrutífera de pesquisas e testes, um dos pesquisadores percebeu que quando sua bacia de pipocas podia cair sem que a manteiga do fundo tocasse o chão. Isso porque ela era côncava!

Uma verdadeira revolução estava começando. E a Becel lançou margarinas com menos colesterol e tampas anti-leis de Murphy. As vendas aumentaram e os empregos se mantiveram. E todos viveram felizes para sempre.

Não perca o próximo post sobre a resistência da humanidade às leis de Murphy: A revolução do pão com geléia, como o principal ícone das leis sobrevive às tentativas de cair no carpete.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Mulher melancia?

Estou tranquilamente navegando pela web, lendo as notícias quando me aparece a seguinte manchete: 'Playboy' divulga capa com Mulher Melancia

Na hora pensei que uma mulher melancia era realmente uma notícia bizarra. Como seria? Tipo, ela só come melancia, mora numa melancia, se veste de melancias, é mulher-propaganda do festival da melancia? Nada disso. Entrei e dei de cara com uma senhorita seminua cujo apelido de melancia se deve ao fato de sua busanfa ter o tamanho de, pasmem, 121 centímetros! E não é que era mesmo uma notícia bizarra? Mesmo assim não pude deixar de imaginar a seguinte cena:

Com um tamanhão desse, tenho que concordar uma vez na vida com aquele ser chamado Clodovil: Isso não é mais gostosura, é obesidade.