segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Máfia italiana controla preço do tomate

A máfia está honrando as suas origens italianas passou a enriquecer de forma ilícita por meio de um produto legitimamente nacional, de acordo com o jornal britânico The Guardian.

Segundo Alessandro Di Pietro, um apresentador de um programa matinal da Rai, a televisão estatal italiana, os mafiosos dominaram o mercado dos tomates Pachino, uma das variedades mais famosas do vegetal, e fazem a população pagar 11 vezes mais que o preço normal do produto.

A declaração de Di Pietro, que pediu o boicote aos pequenos tomates, irritou ministros do governo. Stefania Prestigiacomo, do Meio Ambiente, afirmou que o anúncio do apresentador colocava em risco a vida de mais de 5 mil produtores do vegetal.

Os tomates Pachino são produzidos na região da Sicília, em uma cidade de mesmo nome. No Brasil, a variedade é conhecida como tomate-cereja.

A polícia italiana tem constatado – e até detido mafiosos – que o crime organizado passou a agir no ramo do comércio de frutas e legumes e que as máfias da Calábria, da Sicília e de Nápoles teriam se unido no esquema. Os criminosos também usariam contêineres de alimentos para transportar armas.
Fonte: Estadao.com.br

JK: Madona mia! Até no tomate!

Um comentário:

Lila disse...

Com um mafioso como Primeiro-Ministro, que dizer do resto? =)