sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Um pequeno mundo

O que é isso?



















Um pequeno mundo. Quando eu era criança adorava ver a tampa da TV aberta. Porque os pequenos e complicados mecanismos que a faziam funcionar pareciam uma pequena cidade. E desde criança tinha uma tendência enorme a ser uma imaginativa compulsiva, conceito que mais tarde acabou sendo teorizado aqui no blog como Divagar. E como hoje, a tampa da TV permanece bem fechada, me detive nessa pequena cidade acima, quero dizer, uma placa-mãe de computador, que, penso agora, teve por pai a placa que fazia a TV funcionar.

Afinal até os componentes eletrônicos tem família! E depois que minha irmã comunicou que vou ter um sobrinho, a idéia de um dia ser placa-mãe hoje não me assusta tanto. Se nesse pequeno mundo que forma a placa-mãe do computador existe energia e, portanto, vida como numa cidade comum, talvez minha filosofia não seja assim tão bizarra. Ora, se foi convivendo com animais que me tornei mais humana e se o sentido da humanidade é se humanizar, acho que afinal, estou no caminho certo.