quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Eu atraio gente doida

A pessoa está caminhando na rua sossegadamente quando de repente aparece um maluco e já puxa papo, como se fosse seu amigo de infância. Sim. Essa pessoa é você, essa pessoa sou eu. Somos parte da categoria de pessoas "ímã de maluco".

Não adianta fugir, eles aparecem onde você está, como se você fosse uma espécie de cola, grude, astro gigante que atrai o campo gravitacional exclusivo dos malucos, buraco negro ou qualquer outra coisa que te faça atrair gente doida o tempo todo.

O mais interessante é que assim como você, existem outros e os ímãs de maluco também costumam se atrair entre si, o que é um paradoxo interessante. Afinal ímã de maluco também deve ser maluco, certo? Ou sendo mesmo um ímã, são os opostos que se atraem?

Eu não sei bem, não sou a pessoa mais certa do mundo e acho que o padrão ímã aqui fica paradoxal por causa disso. Mas pensa bem. Você está fazendo uma matéria na rua à noite sobre os albergues de moradores de rua e não tem ninguém na rua além de você, o fotógrafo do jornal e o segurança do albergue que está sendo entrevistado.

Aí aparece o maluco e pra quem ele ruma direto e quase cai em cima? Da pessoa ímã de maluco bem aqui, é claro. Tudo bem, se fosse uma vez só, mas isso sempre me acontece!

Alguém indique uma benzedeira forte, por favor.

Um comentário:

Karol Baldez disse...

Isso sempre acontece comigo...